26 de fev de 2007

Desencanando nos Festivais







Se não me engano era 1999 e foi durante as comemorações do FIQ (Festival Internacional de Quadrinhos) que acontece em Belo Horizonte. Mas podia ser em algum outro festival, tipo o BHQ, ou a Bienal Internacional de Histórias em Quadrinhos, ou...

Bom, a festividade é irrelevante, no momento, pois o que pretendo mostrar aqui é uma das coisinhas que costumamos aprontar durante essas convenções de quadrinistas (caras magrelos ou estranhos, geralmente com barbas por fazer e roupas demodèe. Andam sempre com pastas maiores que o convencional debaixo do braço e vivem tentando cantar as colegiais que aparecem por estes eventos, mostrando-lhes o quanto sabem desenhar uma modelo nua. Ah, e são desenhistas de Quadrinhos, claro!) e que, muito raramente, dá ibope ou qualidade e nunca saímos ganhando nada com isso, mas é divertido.

Peguei um bloquinho de bolso, para anotações relâmpago, e fiz um desenhozinho qualquer, descompromissado com nada. O Fernando Rabello, também quadrinista como eu, viu e rabiscou a página seguinte, dando continuidade à minha cena desenhada. Assim, passando de mão em mão, rabiscou o Ed, da revista Mad, também o Ota, o editor, o Jô Oliveira, grande veterano, o Fabiano Barroso e o Piero Bagnariol, da revista Graffiti 76 % Quadrinhos, e alguns outros autores que não me lembro, porque não assinaram, ou que não reconheci a assinatura, mas eram caras legais e estavam por lá. Estavam muitos outros artistas dos quadrinhos, também, mas estavam tomando refrigerante e não quiseram participar de nossa loucura, rsrsss... Ah, e havia muitos chatos, também, que pensavam que compartilhar da mesma idéia era coisa de desenhista débil e acabavam nos dando as costas ou empinando o nariz.

Portanto, vejam no que deu essa aventura do famoso Rabelo e seu herói Sapu Genti detonando em Tókiu que torno público pela primeira vez! Clique nas imagens para ampliá-las e visualizar melhor.
Abraços,
Laz Muniz

Nenhum comentário: